SBACV-RJ

A Real necessidade da classe médica

João Sahagoff

Nós médicos não precisamos apenas de mensagens de estímulo ou incentivo (apesar de compreendermos a positividade psicológica da coisa).
Não somos os apregoados heróis dessa catástrofe sanitária que assola a humanidade, mas somos aqueles seres humanos que estarão na linha de frente e doaremos nossas próprias vidas para salvar outros seres humanos, mas antes de tudo precisamos ser encarados como pessoas que são pais, mães, filhos, netos, que têm famílias e que como qualquer pessoa têm muitas contas a pagar. E que sofrem com o medo da incerteza! Pessoas que também têm medo do inimigo oculto! O momento é tenso. Apesar de poder ocorrer convocação compulsória não há possibilidade em não atender ao chamado de socorro do nosso povo! Ajudar é o nosso ideal de vida! Contudo, a esmagadora maioria dos médicos não é rica. Muito pelo contrário. E vários são arrimo de família. Portanto, alguns questionamentos se fazem necessários nesta hora delicada:

– “Que garantias os dirigentes, que nos convocam compulsoriamente sem nos dar a adequada de proteção efetiva, darão a nossas famílias? Se nós morrermos, quem cuidará dos nossos descendentes? Que tipo de amparo terão nossas crianças se ocorrer nossa falta? Alguém será capaz de garantir bons estudos e formação adequada para nossas crianças e adolescentes?”

Lutaremos para que a devastação seja a menor possível com toda a nossa sabedoria, pois um médico passa toda uma vida estudando para isso. É nosso dever de quem tem como ideal amar e lutar para salvar o próximo, todavia isto não pode ser confundido com o sacerdócio!
Está na hora da medicina ser valorizada nesse país!
Já passou do momento de termos salários mais dignos, compatíveis com a importância do nosso trabalho, com a dificuldade de passar em um exame de vestibular com as maiores notas exigidas, de estudar incansavelmente nos seis duros anos de faculdade, de fazer outra dificílima prova para ingressar na residência médica e cursar a mesma até a exaustão física e mental. Verdadeiramente somos profissionais essenciais diferenciados pela natureza única do nosso ofício que ninguém mais é capacitado para executar. Os médicos nesse caos da pandemia do coronavírus estão sendo colocados na linha de frente sem equipamento de proteção individual (EPI) adequado, sem recursos de infraestrutura suficiente e sem os leitos de terapia intensiva que, em condições normais, já são insuficientes. Então, de uma vez por todas, é chegada a hora da população nos apoiar promovendo o real valor que as autoridades federais, estaduais e municipais, além dos empresários do setor da saúde devem reconhecer.

Eis os aplausos de que realmente precisamos:
– Restituição aos médicos da Lei do Ato Médico original na íntegra;
– Respeito financeiro e laboral do Piso Salarial proposto pela FENAM;
– Condições seguras e adequadas de trabalho (EPIs para toda equipe de saúde, hospitais e leitos exclusivos para pacientes COVID 19, treinamento das equipes, testes para os casos suspeitos principalmente da equipe multiprofissional);

– Seguro saúde e de vida para profissionais médicos;

– Seguro saúde e educacional para os familiares de médicos vitimados;
– Pagamento e garantia das prerrogativas trabalhistas da insalubridade e periculosidade;

– Pagamento do adicional noturno;
– Remuneração adicional quando em regime de sobreaviso;
– Respeito às cargas horárias de trabalho;
– Descanso de 10 minutos a cada 90 minutos trabalhados.
– Pagamento das horas extras trabalhadas;
– Controle e avaliações constantes das faculdades de medicina no território nacional, sejam elas públicas ou privadas
– Segurança para que os profissionais médicos nos serviços de emergência, ou nos serviços periciais não sejam agredidos ou intimidados.

É a hora disso mudar! Viva a Medicina e os médicos do Brasil!

Evidentemente, uma certeza teremos: ao sobrevivermos a esta grave situação, semelhante ao Juízo Final, poderemos dizer aos nossos amigos e descendentes como participamos ativamente no controle de uma praga mundial. Isso será motivo de orgulho quando ocorrer. Esperamos que isso se concretize o mais rápido possível. Deus nos abençoe!