SBACV-RJ

Artigos

Angiotomografia de controle da aorta abdominal e torácica após 1 ano de tratamento

Dr. Pablo da Silva Mendes – Título de Especialista em Cirurgia Vascular e Endovascular pela SBACV, Membro efetivo da SBACV (regional do Espírito Santo)

J.F.N., masculino, 28 anos, internado há 22 dias com quadro de dor lombar, sem febre. Antecedentes: S.I.D.A., quadro recente de sífilis, exclusão renal esquerda por trombose. Apresenta tratamento irregular da doença viral, sem outros sinais sistêmicos, VDRL negativo desde novembro de 14.

Angiotomografia da aorta torácica e abdominal mostra aneurisma sacular de aorta descendente, aneurisma fusiforme toracoabdominal, dissecção com estenose de aorta abdominal.
Programação de tratamento:

– Tratamento das lesões estenóticas da aorta descendente e infrarrenal, exclusão do aneurisma sacular da aorta descendente, exclusão do aneurisma da aorta, revascularização de três troncos viscerais patentes. Optamos pela “técnica de sanduíche” por exclusão; dadas as condições clínicas da internação, estado da doença de base, evolução rápida de lesões múltiplas e graves (apresentava angiotomografia recente) e alta morbidade da cirurgia convencional.

Realizamos a liberação da Endoprótese RELAY plus 34x30x200, posicionada 2 cm acima da origem do tronco celíaco. Posicionamento dos stents recobertos VIABAHN em artéria viscerais (artérias renal direita, mesentérica superior e tronco celíaco). Liberação do segundo corpo de endoprótese RELAY plus 32x28x150, de forma a deixar expostos menos de 1 cm de cada Viabahn na sua parte proximal. Liberação dos stents recobertos VIABAHN.

A imagem corresponde à angiotomografia de controle da aorta abdominal e torácica após 1 ano de tratamento do paciente descrito no caso clínico.