SBACV-RJ

Hall da fama

Filho de Alberto Carlos Mayall e de Elvira Jordão Mayall, Rubens Carlos Mayall nasceu em 7 de julho de 1917 em Petrópolis, Rio de Janeiro. Casou-se com Magdalena Aurora de Oliveira Dias Garcia Mayall, com quem teve os filhos Antônio Carlos, Madalena Maria (falecida em 1984), Teresinha Maria (falecida em 1997), Maria do Rosário, Rubens Carlos (falecido em 1978), Luís Carlos e Ana Maria. Seus netos: Carlos Felipe, Letícia, Mônica e Regina (falecida).

Depois do ensino básico, realizado no Colégio São Vicente de Paulo, em Petrópolis, em 1934 matriculou-se na Faculdade Nacional de Medicina da Universidade do Brasil.

Em 1935 trabalhou no Laboratório de Análises no Serviço do Professor Figueiredo Baena, da Cadeira de Urologia e, em 1936, no Ambulatório de Cirurgia Geral da Policlínica do Rio de Janeiro, em Botafogo, sob a direção do Dr. João Batista Canto. Em 1937 obteve o 1º lugar em concurso para auxiliar acadêmico da Secretaria Geral de Saúde e Assistência da Prefeitura. De 1937 a 1938 trabalhou como interno-estagiário da 9ª Enfermaria da Santa Casa da Misericórdia – Serviço do Prof. Clementino Fraga. Colou grau em 1939. De 1938 a 1940 foi auxiliar acadêmico do Hospital Pronto Socorro da Secretaria Geral de Assistência do Distrito Federal e interno do Serviço de Clínica Médica – Serviço Benício de Abreu, sob a direção do Dr. Genival Londres. Organizou, neste período (1939/40), dois cursos de interpretação hematológica para os auxiliares acadêmicos. Em 1941 organizou com o Dr. Walter Montenegro um Serviço de Oxigenioterapia, Carbogenoterapia e Aerosolterapia. Foi o pioneiro nesta área. No período compreendido entre os anos 1942 e 1957, fez o curso de formação de oficial médico na Escola de Saúde do Exército; estagiou no Serviço de Angiologia dos Prof. Nicola Romano e Rodolfo Eyherabide, do Hospital Duran, em Buenos Aires, Argentina; na cátedra de Medicina Operatória do Prof. Antônio Souza Pereira, na cidade do Porto, Portugal; no Serviço de Hematologia do Hospital Mount Sinai, em Nova Iorque, USA, no Serviço de Doenças Vasculares do Dr. Irving Wrigh; no Serviço de Hematologia do Dr. Alfredo Pavlovsky, da Academia Nacional de Medicina, em Buenos Aires; no Grupo de Angiopatias do Prof. Fontaine, em Strasbourg, França; no serviço de Citologia do Dr. Forteza Bover (Espanha) e no grupo de Hemodiálise do Hospital Buffalo, USA.

Em 1954, Rubens Mayall assumiu a chefia da Clínica Médica do Hospital Nossa Senhora da Saúde, (Gambôa, Rio de Janeiro), entidade na qual fundou o Centro de Estudos e Pesquisas, em 1959. Em 1962 foi nomeado diretor interino deste hospital, quando então criou o Serviço de Clínica Médica, Angiologia e Cirurgia Vascular.

Em 1937 obteve o 1º lugar no concurso para auxiliar acadêmico do Pronto Socorro. Em 1941 obteve a primeira colocação no concurso para oficial médico do Serviço de Saúde do Hospital da Polícia Militar, e, no mesmo ano, a terceira colocação no concurso para o Serviço Médico do Corpo de Bombeiros. Em 1970 foi aprovado no concurso livre-docência da Universidade do Rio de Janeiro – UNI-Rio. Defendeu as teses: "Edemas linfáticos e venosos", Úlceras tróficas de origem venosa", "Pé diabético" e "Síndrome de Hiperostomia".

De suas atividades como médico e professor destacam-se, além de vários cursos ministrados no Brasil e no exterior: médico do Hospital N. S. da Saúde (Gambôa, Rio de Janeiro, onde mantém sua Clínica de Angiologia e Cirurgia Vascular, e professor titular da faculdade de Medicina de Valença, Rio de Janeiro, desde 1970.

O Dr. Rubens Mayall é sócio-fundador das Sociedades Brasileiras de Nefrologia, de Hematologia (1950) e de Angiologia, da qual também foi seu 1º vice-presidente (1952), secretário-geral (1965 a 1968) e tesoureiro geral (1968/1971 e 1975/1979) e, ainda, fundador da Regional do ceará (1973). É sócio do American Heart Association, desde 1946, do Centro de Estudos João Batista Canto (1949), da Sociedade Internacional Européia de Hematologia (1952), da Sociedade Internacional de Hematologia (1954), titular e colaborador internista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões (1954), tesoureiro do Capítulo Latino-Americano da Internacional Cardiovascular Society of Angiology (1954), sócio da International Society for Research on the Coagulation of Blood, Capilay Function and Pratical Myology (1958), sócio estrangeiro da Sociedade Chilena de Angiologia e da Sociedade Argentina de Angiologia.

É membro da Sociedade de Cardiologia do Rio de Janeiro, da Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro, da Comissão Técnico-Científica de Hematologia da Sociedade de Hematologia e Hemoterapia do Brasil, da Internacional Society of Hematology Felow de Caracas (1970), titular da Sociedade Brasileira de Escritores Médicos, da Sociedade Peruana de Angiologia, da Academia Nacional de Medicina e da Academia Nacional de Medicina Militar. É membro honorário das sociedades uruguaia, chilena e mexicana de Angiologia, da Sociedade de Angiologia e Histopatologia de Paris, da Union Internationale d'Angéologie, da Sociedade Cardiovascular do Chile, "Member at Large" da Panamerican Medical Association e membro estrangeiro da Milgliederverzeichnis der Schrveiz Gessellschaft fur Phlebologie.

São quase inumeráveis os prêmios e as homenagens que lhe foram prestadas por várias faculdades, universidades, congressos nacionais e internacionais, em razão das atividades nos seus 60 anos de vida médica, valendo destacar: Santa Maria, RS (1973); Professor homenageado pelas turmas da Faculdade de Medicina de Valença durante vários anos; Cidadão Carioca do Rio de Janeiro (1975); Único médico brasileiro a receber a Medalha de Ouro de Ratschow, do Curatorium Angiologie Internacional na Alemanha, das mãos do Prof. Norbert Kluken (1979); Medalha de Ouro no grau de Grão-Mestre, da Sociedade Brasileira de Angiologia (1982); Medalha de Mérito Naval, recebida do então Presidente João Batista Figueiredo (1983); Professor honorário da Universidade de Salvador (1997); Título de Membro de Honra do Clube da Linfologia durante o XVI Congresso Internacional de Linfologia (Madrid, 1997); Título de Cidadão Valenciano pelos serviços prestados à medicina da cidade de Valença (1998); Quadro e placa de mármore a ele dedicados pelo Congresso Internacional de Linfologia realizado em em 1999, em Chennai, Índia; Título de "Maestro de La Flebologia Argetina", concedido durante o Congresso Pan-Americano de Flebologia e Linfologia (Córdoba, 2000); Título de Membro de Honra da Sociedade Espanhola de Flebologia e Linfologia (2000).

O Prof. Rubens Mayall fez vários estágios em Universidades e hospitais da Argentina, Portugal, França, Espanha e Estados Unidos.

Escritor incansável, de sua autoria destacam-se as seguintes publicações: Doenças oclusivas das artérias e veias, Manual de Angiologia para o Clínico, Pé diabético, Úlceras tróficas de origem venosa, Síndrome de Hiperostomia e Edemas linfáticos e venosos dos membros inferiores.

O Prof. Dr. Rubens Carlos Mayall foi campeão de tênis brasileiro juvenil simples e de dupla mista no Fluminense Futebol Club (1936); de tênis de mesa durante duas viagens nos navios Serpa Pinto e Provence; do 1º time de futebol de ponta esquerda do Colégio São Vicente de Paula (Petrópolis); neste colégio aprendeu a tocar violino até a 8ª posição. Fala e escreve várias línguas: inglês, francês, italiano e alemão (um pouco).

Produção Editorial: Trasso Comunicação e Assessoria Ltda. - SBACV 1952-2002 - 2ª Edição revisada e ampliada.
Biografias - Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular.